Os melhores livros de gestão, resumo, em Português
Como usar os estados financeiros, Uma guia para entender os números, por James Bandler

Como usar os estados financeiros

Uma guia para entender os números

Escrito por: James Bandler
Assunto: Finanzas y Contabilidad
Título original: How to Use Financial Statements: A Guide to Understanding the Numbers

Comparta en:

Voltar para a lista de resumos

Resumen ejecutivo de Como usar os estados financeiros

Qualquer que seja a sua situação, entender os Estados Financeiros enriquecerão sua vida de negócios. Especificamente, conhecê-los é vital para:

- Donos de empresa: precisam saber aproveitar ao máximo sua inversão
- Prestamistas: precisam avaliar aplicações de crédito
- Gerentes: usam-nos para identificar fortalezas e debilidades dentro do seu âmbito
- Fornecedores: eles têm que estar seguros de que seus clientes poderão pagar
- Clientes: querem saber se o seu fornecedor continuará no mercado
- Funcionários: procuram conhecer a solidez da empresa onde trabalham
- Buscadores de trabalho: usam-nos para avaliar ofertas de trabalho
-

Os Estados Financeiros são ferramentas para analisar negócios. Consistem em três informes diferentes, mas inter-relacionados:

- O Balanço Geral (Balance Sheet o Statement of Financial Position), mostra um panorama da solidez financeira da empresa num momento dado
- O Estado de Lucros e Perdas (Income o Profit and Loss Statement), mostra que tão rentável foi a empresa durante um período de tempo determinado
- O Estado de Fluxo de Caixa (Cash Flow Statement), indica quanto dinheiro efetivo produziu a empresa num tempo determinado, e no que tem se utilizado. Esta cifra tem poucas semelhanças com os lucros.
-

Em conjunto, estes estados podem revelar oportunidades, e prevenir sobre possíveis problemas. Em poucas palavras, são indispensáveis.
Editora: McGraw Hill
Ano: 1994
Número de páginas: 147
Rating Amazon:
Comprar o livro

Resumido en Español

Introdução ao conceito de Incidido (método de acumulação, Accrual em Inglês)

O sistema baseado em incidido é muito mais útil, mas muito mais difícil de entender, que o sistema baseado em efetivo (o metodo que você usa, por exemplo, cuando você concilia sua conta bancária: simplesmente soma os depósitos e subtrai os cheques).

Nele, os ingresos são reconhecidos no momento em que se faz a venda ou fornece o serviço, e não quando se recebe o pagamento correspondente. Analogamente, você tem gastos quando recebe o serviço ou quando utiliza um ativo para produzir lucros, e [...]

O Balanço Geral

Enumera e totaliza o Ativo, Passivo e Patrimônio no final de um período de operações (geralmente um mês, múltiplos de 3 meses ou um ano).

Um Ativo é algo que pertence à empresa, e que será usado para gerar ingressos. Um Passivo é uma obrigação pela qual a empresa tem que pagar à outra pessoa ou empresa. O Patrimônio ou Capital é o que resta após deduzir o Passivo do Ativo. Essas se relacionam pela equação fundamental da Contabilidade:

Ativo = [...]

O Estado de Lucros e Perdas

Mostra quanto dinheiro está ganhando (ou perdendo) a empresa. Calcular esta quantidade é muito simples: calcule os ingressos totais obtidos da venda de produtos e serviços, e deduza o custo de bens vendidos e os outros gastos de gestão da empresa.

O Estado de Lucros e Perdas

Os ingressos aqui são chamados Vendas Líquidas para refletir a possibilidade de devoluções. As vendas são referidas geralmente ao produto ou serviço [...]

O Estado de Fluxo de Caixa

A boa notícia: Fácil S.A. ganhou US $600.000 ao ano. A má: O efetivo foi reduzido em US $1.000. Como isto é possível ?

Isto pode ocorrer porque os ingressos não são necessariamente recebidos quando são incididos, nem os gastos são pagos sempre quando são ocasionados. É por isto que é necessário o Estado de Fluxo de Caixa, para fazer um seguimento do efetivo.

Muitos gerentes pensam que este estado é mais importante que os outros – pensam que o dinheiro no banco é essencial para uma [...]

Siga o dinheiro

Neste ponto, faremos o seguimento de varias transações e como estas afetam o Balanço Geral e o fluxo de efetivo.

Começo: A empresa inicia suas operações con um Balanço Geral líquido. Seu Ativo Circulante (Efetivo + C x cobrar + Inventário = US$600) é seis vezes seu Passivo Circulante (C x pagar = US$100). Seu alavancamento (relação divida/patrimônio) é modesta. Tem US$500 em Patrimônio X US$300 em Passivo.

A Depreciação

Quando você compra um equipamento ou máquina, não pode deduzir o custo imediatamente, ja que o mesmo gerará ingressos pelos próximos anos. O custo é então repartido ao longo do período no qual se espera que gere novos ingressos – sua vida útil – utilizando um calendário de depreciação.

Para determinar a vida útil, deve se tomar em consideração dois parâmetros:

- Sua vida física: quer dizer, quanto vai durar antes de precisar comprar um novo

- A Obsolecência: [...]

O Inventário

Se a empresa tem um inventário pequeno, o qual permite fazer seguimento a cada peça, valorizá-lo não é nada difícil. Mas se tem vários lotes de peças, cada uma adquirida em momentos diferentes a preços diferentes, a coisa se complica.

Tem três formas de valorizar o inventário. Nós os descreveremos baseados no seguinte exemplo. Imagine que durante o ano, fez as seguintes compras (de um mesmo produto):

Os Ratios ( índices, ratas, ou relações financeiras)

Uma vez conhecidos os elementos dos Estados Financeiros, estamos prontos para estudar uma ferramenta fundamental para compreender as fortalezas, debilidades, e perspectivas do futuro de uma empresa.

Os Ratios são relações entre partes-chave dos Estados Financeiros. É importante comprendê-los, fazer um seguimento a longo do tempo, e compará-los com as médias de outras empresas na sua indústria.

Importância dos Ratios – exemplo

Imagine que a empresa [...]

Este é um trecho do resumo

Comentários sobre o livro Como usar os estados financeiros

comentarios por Disqus
Todos los derechos reservados por Meltom Technologies Inc